Como Montar um Plano de Ação: Um Método de 9 Etapas

Você sente dificuldades em organizar as suas atividades e a sua vida, de forma geral?

Você tem objetivos e sonhos que deseja realizar, mas não consegue muito bem levá-los adiante?

Bem, para que você consiga realizar aquilo que você quer, é preciso transformar um objetivo em uma meta e uma meta em um plano de ação.

Porque se você não criar um plano de ação, você ficará perdido, à deriva, sem saber direito o que fazer, como fazer, quando fazer e o porquê fazer.

Elaborar um plano de ação pode não ser uma tarefa fácil, mas quando bem estruturado, ele permite que você seja bem-sucedido naquilo que desejar.

Quando cria um plano de ação você cria um planejamento exato, detalhado e passo a passo do que precisa ser feito, e isso traz liberdade e foco para que você consiga, de fato, realizar aquilo que quer.

Por isso, continue comigo neste conteúdo porque eu vou mostrar um método de 9 etapas para que você descubra como montar um plano de ação, passo por passo.

ATENÇÃO
Antes de continuar você pode baixar gratuitamente o livro As 7 Poderosas Crenças Para Viver Uma Vida Sem Limites clicando aqui.

Engrandece.com

*Você prefere este conteúdo em áudio, vídeo ou texto?*

Fique à vontade para escolher 🙂

Áudio


Vídeo

Texto

O Que é um Plano de Ação?

Um plano de ação é, em essência, o passo a passo desde a ideia até a concretização do seu objetivo.

É um planejamento detalhado e metódico das ações que são necessárias para a conclusão de um determinado projeto.

Um plano de ação é um documento que define um projeto. Ou seja, é uma lista detalhada do trabalho que deve ser realizado para a conclusão de um projeto.

Um plano de ação descreve quais recursos serão necessários para atingir um objetivo e qual será a sua linha do tempo, incluindo todas as tarefas envolvidas do início até o fim do projeto.

Como Criar um Plano de Ação

1. Defina Claramente o Que Deve Ser Alcançado

Antes de qualquer coisa, você precisa definir com clareza o que será alcançado.

O seu objetivo deve ser extremamente claro, palpável e bem pensado, porque ele servirá como base para o seu plano.

Então, o que você realmente quer fazer?

Qual é o seu grande objetivo?

Para que você saiba se o seu projeto foi ou não bem-sucedido, você precisa saber o que se espera dele.

Escreva o seu objetivo no papel.

2. Torne o Objetivo Mensurável

Depois que você define o seu objetivo, você precisa transformá-lo em um objetivo mensurável, geralmente atribuindo um número a ele.

Um objetivo mensurável permite que você e a sua equipe possam visualizar o que está sendo realizado, o quanto já foi realizado e quanto falta para a realização total.

Dessa forma, todos conseguem corrigir os desvios, caso houverem, e buscarem o número exato daquilo que está sendo alcançado.

Por exemplo, se você quer aumentar as vendas da empresa, quantas vendas, exatamente, você quer fazer? Qual a porcentagem de vendas adicionais que deve ser buscada?

Se você quer emagrecer, quantos quilos você quer perder? Se quer ganhar músculos, da mesma forma, quantos quilos?

Se você quer ganhar dinheiro investindo, quanto, exatamente, você quer ganhar?

Não importa qual seja o seu objetivo, você precisa colocar um número nele, para que possa mensurá-lo.

3. Liste Tudo o Que Deve Ser Feito

A terceira etapa é você listar, no papel, tudo o que precisa, de fato, ser feito.

Você precisa listar todas as atividades que devem ser realizadas para que você consiga atingir o seu objetivo.

Se você conta com uma equipe, liste todas as tarefas junto com ela e faça um brainstorming para que todos contribuam com o plano.

Se você realizará tudo sozinho, da mesma forma, coloque no papel todas as atividades que você sabe que precisa realizar para cumprir a sua meta.

Basicamente, crie um checklist das atividades e atitudes que serão executadas no plano prático.

4. Divida as Atividades em Pequenas Tarefas

Dentro do seu checklist de atividades a serem realizadas sempre existirão aquelas que são mais difíceis de serem realizadas.

Portanto, você precisa dividir essas grandes atividades em pequenas tarefas. Uma grande atividade sempre exige mais de um passo de ação.

Então divida cada uma das grandes atividades em tarefas menores, mais palpáveis e de fácil implementação, para que você possa realizá-las passo por passo.

Se existirem mais pessoas envolvidas no seu projeto, dessa forma, todas as pessoas conseguirão gerenciar as tarefas com maior facilidade, além de adquirirem mais clareza para executá-las no tempo previsto.

5. Determine Prazos Finais

A sua grande meta, ou seja, o que deve ser alcançado, assim como cada uma das grandes atividades e das pequenas tarefas, precisam de prazos finais.

Sem prazos finais certamente o trabalho se expandirá para preencher o tempo que, neste caso, é infinito.

Dessa forma, algumas atividades podem não ser concluídas nunca.

Repetindo: você precisa determinar um prazo final para a grande meta, para as grandes atividades e para cada uma das tarefas menores.

Prazos finais são fundamentais para que você consiga executar um projeto com eficácia.

Cada atividade deve ter seu próprio prazo, de acordo com o grau de dificuldade e complexidade da mesma.

Além disso, os prazos finais devem ser compatíveis entre si, ou seja, eles devem se encaixar de modo harmonioso para que você ou qualquer outra pessoa que esteja trabalhando junto com você não precise ficar esperando outra atividade ser completada.

6. Delegue Atividades

Se você está trabalhando em prol do projeto junto com uma equipe, é preciso delegar sabiamente as atividades para cada pessoa.

Portanto, estude as atividades e identifique quais são as mais complexas ou mais simples e delegue-as de maneira eficaz para cada pessoa.

É importante que, quando delega, você converse com as pessoas envolvidas para que elas estejam cientes e deem as próprias opiniões em relação a tudo que está relacionado com a atividade, incluindo o prazo final de realização.

Se você não sabe como delegar, eu criei um artigo mostrando como delegar da melhor forma possível.

7. Crie Uma Representação Visual

Nesta etapa você deve elaborar um cronograma visual, com muita clareza, contendo todas as ações, atividades e prazos a serem atingidos, de forma que todos possam identificar suas responsabilidades e obrigações.

Uma representação visual do seu plano de ação auxilia no engajamento de todas as pessoas envolvidas no projeto, além de que mantém você no foco.

Poder acompanhar o andamento do projeto e das atividades é uma excelente maneira para que você consiga mensurar o seu plano.

Uma visualização gráfica permite que você consiga identificar com facilidade quais tarefas não estão sendo executadas, ou atingidas, para que você possa, assim, passar a priorizá-las ou modificá-las, caso seja preciso.

Portanto, exponha o seu cronograma visual em um local em que todos possam vê-lo facilmente ou permita o acesso do plano através de uma ferramenta online.

Inclusive, mesmo que você esteja sozinho no seu projeto, seja ele pessoal ou profissional, é fundamental representar visualmente o seu cronograma.

Com um cronograma visual todos se tornam mais produtivos e motivados, além de não se perderem no meio do processo.

8. Preveja Situações Adversas e Previna-se

Pode ter certeza que, durante a execução do seu plano de ação, nem tudo ocorrerá como foi planejado no papel.

Existem inúmeros fatores, muitas vezes imprevisíveis, que prejudicarão o seu planejamento e a execução do mesmo.

Portanto, previna-se antecipadamente contra esses possíveis problemas prevendo o máximo de situações problemáticas que você conseguir e elabore planos de ação de antemão para solucioná-las.

Use o raciocínio “se acontecer isso eu farei aquilo”.

Pense em todos os possíveis e prováveis problemas que podem surgir no meio do caminho e define o que você fará em cada situação, caso elas se tornem realidade.

9. Mensure e Acompanhe o Andamento do Projeto

A partir do momento que o seu plano de ação está estabelecido e totalmente pronto, você precisa transformar o acompanhamento dele em um hábito.

Você precisa sentar periodicamente para analisar e acompanhar os resultados do seu projeto. Inclusive, mesmo que esteja atuando sozinho.

Se estiver trabalhando juntamente com outras pessoas, é possível, por exemplo, criar um cronograma de envios de relatórios ou apresentações de resultados.

Um plano de ação bem executado necessita de uma clara definição a respeito de como você fará o acompanhamento do mesmo.

Com os dados em mãos, você deve registrar tudo aquilo que não sair de acordo com o que foi planejado, detectando eventuais problemas, para que você consiga identificar as causas e encontrar soluções.

É nessa hora que você também pensa em medidas que podem aprimorar os processos com a intenção de acelerar o cumprimento da meta.

É importante ressaltar também que um plano de ação pode, eventualmente, em função de eventos indesejados ou imprevistos, ser alterado.

É durante a mensuração e o acompanhamento que você muda o seu plano de ação, caso seja necessário.

Se precisar mudar, mude, mas nunca desista do seu plano.

Portanto, reveja sempre o seu plano de ação e engaje todas as pessoas envolvidas para que todos consigam seguir em frente sem perder de vista a grande meta a ser alcançada.

Conclusão

Criar um plano de ação pode não ser fácil, mas também não é a coisa mais difícil do mundo.

Um plano de ação bem executado permite que você consiga se tornar um realizador de sonhos e projetos.

Por isso, não adianta apenas entender como montar um plano de ação. Você precisa, de fato, colocar a mão na massa e fazer acontecer.

Porque mesmo que você crie um plano de ação passo a passo, altamente detalhado e específico, se você não tiver a disposição necessária para colocá-lo em ação (daí vem o nome) você, no final das contas, não fará nada.

Poucas pessoas criam um plano de ação, então você já está acima da média neste quesito, mas menos pessoas ainda colocam seus planos de ação em prática.

Você não pode ser mais um na multidão, mais um que não faz nada para crescer, mudar, evoluir e se desenvolver na vida ou na carreira.

Seja diferente, faça diferente, seja consistente, faça acontecer. Quando não coloca o seu plano em ação, você falha, fracassa e amargura a derrota.

Mas quando você coloca em ação, você, de fato, se torna um gigante, uma pessoa acima da média, uma pessoa realizadora.

E você pode fazer isso, porque só depende de você.

Nos últimos 12 anos, na minha jornada como atleta e empresário, você sabe o que eu descobri, que faz as pessoas se tornarem executoras e, de fato, bem-sucedidas?

Sabe qual é o grande fator que diferencia as pessoas de sucesso, em qualquer área e em qualquer projeto, das pessoas que fracassam?

É o poder pessoal. Quem tem poder pessoal se capacita para viver uma vida acima da média, uma vida fora do comum, uma vida longe do padrão, fora dos paradigmas, uma vida extraordinária e sem limites.

Pessoas de sucesso são pessoas de ação, e elas possuem um nível de poder pessoal altíssimo que as possibilita viver em alta performance.

Criar um plano de ação e colocá-lo no papel é a parte mais fácil de todas, difícil é ter a força interior necessária para cumprir o plano até o final.

Então, se você quiser desenvolver essa força interior, o poder pessoal necessário para que você, de verdade, se torne uma pessoa capaz de realizar qualquer plano de ação que você criar, clique aqui e baixe de graça o meu livro As 7 Poderosas Crenças Para Viver Uma Vida Sem Limites.

Não perca mais tempo, decida de uma vez por todas transformar as suas visões em realidades, tornando concreto aquilo que só existe na sua imaginação.

Eu espero que você faça bom proveito do livro 🙂

Sobre o autor

Rafael da Luz

Você se torna capaz de alcançar qualquer sonho na vida quando aprende a se desenvolver como ser humano. O desenvolvimento pessoal é o caminho para que você realize tudo o que mais deseja na vida. Não existem limites, existe conhecimento. Por isso, engrandeça.

Adicione um comentário

Compartilhar
WhatsApp