Como Sair do Vitimismo: 5 Passos Para Protagonizar

Será que você tem a síndrome do coitadismo, onde, na psicologia, o fenômeno é chamado de vitimismo?

Você pode sofrer, as coisas podem dar errado para você, e isso pode ser doloroso.

Só que, na verdade, se você está se sentindo péssimo, é menos pelos acontecimentos em si ou pelo “azar” e mais por você aceitar se colocar na posição de vítima.

Se vitimizar não é apenas ocupar o lugar de vítima, é ser dependente emocionalmente de outras pessoas, sentir que é incapaz de caminhar com as suas próprias pernas e não se responsabilizar pelos problemas que aparecem.

A maioria das pessoas vitimistas não fazem a menor ideia de que levam a vida dessa forma.

Porém, se você está aqui, provavelmente já tem a consciência de que está se colocando nessa posição, e por isso quer entender como sair do vitimismo para mudar, o que é ótimo.

Uma vítima nunca é protagonista, e um protagonista nunca é vítima. Por isso, você precisa aprender imediatamente como se livrar do vitimismo.

Você pode não saber, mas o papel de vítima traz um benefício – e é por isso que muitas pessoas não se livram dele.

Se você acha que é loucura dizer que o vitimismo conta com benefícios, o melhor mesmo é que você continue acompanhando este conteúdo para entender exatamente o que estou dizendo, além de, claro, saber como vencer esse mal, para ser dono da sua vida.

ATENÇÃO
Antes de continuar você pode baixar gratuitamente o livro As 7 Poderosas Crenças Para Viver Uma Vida Sem Limites clicando aqui.

Engrandece.com

*Você prefere este conteúdo em áudio, vídeo ou texto?*

Fique à vontade para escolher 🙂

Áudio


Vídeo

Texto

Complexo de Vitimização

Quando você deixa de ser o “personagem principal” da sua vida, culpando absolutamente tudo e todos que estão ao seu redor pelos seus problemas, você se exime de qualquer responsabilidade.

Não se responsabilizar faz com que você tome distância dos seus sofrimentos, na tentativa de evitar todo o embaraço e a dor do processo.

Se vitimizar é uma forma de fazer com que você viva com menos impacto as turbulências da vida.

Além disso, vitimistas podem se aproveitar de pessoas que possuem compaixão, afinal, o processo fica ainda mais simples quando se tem alguém que acredita que você realmente é a vítima.

Mesmo com inúmeras soluções que propõem, você nunca estará satisfeito.

O motivo é claro: se essa fosse a resposta os benefícios desapareceriam, e isso o vitimista não quer. A verdade é que estar nesta posição, de vítima, gera grandes problemas.

A vítima é extremamente vulnerável ao que acontece ao redor dela, sendo assim, a vida depende única e exclusivamente do mundo externo e não do interno.

Sentir-se fraco, incapaz, dependente, triste e frustrado são algumas das várias sensações que o vitimismo carrega.

Vítima? Será?

Sabe quando, infelizmente, alguém próximo sofre um acidente? Bom, isso faz dele uma vítima.

Da mesma forma, alguém que é assaltado enquanto vai para o trabalho também é uma vítima.

O que esses exemplos possuem em comum? Simples, quem vive essas situações realmente são vítimas.

Você, ou qualquer outro ser humano, só é vítima de alguma situação quando sofre algo que está absolutamente fora da sua vontade e controle, ou seja, quando não se possui poder nenhum sobre o que está acontecendo.

Você conseguiria adivinhar que está prestes a sofrer um acidente ou assalto?

Agora, quando você acredita que o seu relacionamento é ruim, seu chefe é uma pessoa horrível, sua família é extremamente ingrata e você detesta tudo o que faz, por acreditar que nunca consegue ter as oportunidades que merece, aí você não é a vítima da situação, você só está “sofrendo” de coitadismo.

Nesses casos, você sempre pode tomar atitudes para melhorar.

Não são situações que estão fora do controle, que você não pode fazer nada porque está fadado a viver assim.

Se está ruim, desculpe, mas é por você mesmo não tomar uma atitude para que seja de outra forma.

Como Sair do Vitimismo

Mas então, afinal, como sair do vitimismo?

Pelo menos para você, essa é a pergunta que vale um milhão de reais.

Porque uma vítima deixa de lado a oportunidade de agir, aprender e evoluir.

Ter problemas é o que nos mantém em equilíbrio, as experiência positivas são ótimas, claro, mas eu tenho certeza que se puxar da memória, ligando os pontos, você conseguirá se lembrar de todas as experiências negativas que se mostraram extremamente úteis na sua vida.

As experiências ruins e os problemas são fontes de crescimento, é por meio deles que você aprende como, de fato, melhorar como ser humano.

Quando deixa de ser protagonista da sua vida, você não vira um figurante, vira um espectador. Isto é, nem sequer consegue “ocupar” algum lugar na própria história, simplesmente permanece assistindo tudo de longe.

Você quer mesmo sentir que a sua vida é uma novela, onde você está sentado em casa assistindo tudo pegar fogo e, infelizmente, apenas torcendo para que dê certo?

Não, é claro que não, e é por esse motivo que está aqui.

Então, vou te mostrar como sair do vitimismo através de 6 passos.

1. Consciência do Problema

Antes de qualquer coisa, por que você se sente uma vítima?

Qual é o problema, situação ou sentimento que está atrapalhando o andamento da sua vida?

Independentemente do que seja, mesmo sendo algo muito ruim, identifique o que está fazendo com que você se vitimize.

Ter a consciência clara da causa do seu vitimismo é fundamental.

2. Consciência da Sua Participação

Agora que você sabe, claramente, o que faz você se sentir uma vítima, pense a respeito da sua parcela de participação nisso.

Com toda a calma e tranquilidade, analise todos os fatos de forma imparcial e procure a resposta para entender onde você está errando.

Mesmo que outras pessoas estejam envolvidas, e mesmo se não estiverem, sempre existe uma participação sua.

Portanto, independentemente de quem ou o que esteja do outro lado, entenda o que você fez para ajudar a ocasionar o problema que está enfrentando.

E, muitas vezes, o fazer pode ser igual a não fazer, você não fez o que deveria ter feito para impedir o problema.

3. Assuma a Responsabilidade

Mesmo que o outro esteja errado ou as situações pareçam quase irreversíveis, quando o assunto é a sua vida, a responsabilidade é sua.

Você pode não ter o controle dos acontecimentos, eventos, situações inesperadas ou daquilo que as outras pessoas fazem, mas você tem controle a respeito das próprias atitudes.

Mesmo que você não tenha “culpa” nenhuma, você ainda é responsável por fazer o que é o melhor para você.

Não é como você se sente, é como você age diante daquilo que você sente. Não é o acontecimento ou a pessoa, é como você age diante do acontecimento ou da pessoa.

A escolha da mentalidade que você irá adotar é o que, de fato, fará com que você permaneça se sentindo uma vítima ou saia do vitimismo.

4. Perdoe-se

Para que você consiga se livrar do vitimismo, você precisa perdoar a si mesmo.

Ficar se castigando e se perguntando como não enxergou tudo que está acontecendo agora não vai te levar a lugar nenhum.

Se perdoar é fazer com que o sentimento de culpa vá embora, não é dizer que não tinha como fazer de outro jeito (isso é vitimismo).

O auto perdão, para sair do vitimismo, é fundamental.

Porque você pode permanecer em um círculo vicioso que te mantém constantemente se sentindo uma vítima.

Eu sei que falar é muito fácil e nem sempre sabemos como nos perdoarmos. Por isso eu resolvi escrever um artigo completo sobre como se perdoar.

5. Trabalhe Para Resolver

Fez tudo que podia para se livrar da prisão interna em que vivia?

Se sim, ótimo, agora você precisa agir.

Esse passo é desconfortável, mas quando fizer, vai querer fazer mais vezes por ser extremamente libertador.

Você tem um problema nas mãos, então precisa trabalhar para resolvê-lo.

Não culpe ninguém e, se puder, não conte com ninguém para isso.

Apenas entenda o que você pode fazer para resolver e dê um ponto final, ou melhor, trabalhe para não deixar nenhum nó solto.

O que você pode fazer para resolver?

Faça. Simplesmente faça.

Como Lidar Com Pessoas Vitimistas

Por último, eu preciso falar para você sobre como lidar com pessoas que se colocam sempre no papel de vítima.

Lidar com pessoas que se fazem de vítimas é complicado, afinal, se segue o rumo natural do processo, muito provavelmente você já passou pela etapa de sentir compaixão ou até mesmo pena por parecer que tudo na vida de determinada pessoa “dá errado”, e agora está vendo que nem tudo é como parece ser.

É extremamente importante que você saiba que não vai ser fácil.

Entender como sair do vitimismo já é difícil, mas lidar com pessoas vitimistas é ainda pior, já que no menor sinal de contrariedade, muito provavelmente a pessoa dirá que ninguém a entende, ama, respeita, ajuda ou acredita nela.

Ajudar a si mesmo é muito mais simples do que ajudar uma outra pessoa que esteja refém da síndrome do coitadismo, por apenas um motivo: quando você quer mudar, significa que está consciente do problema.

Agora, quando estamos falando de uma outra pessoa, pedir que ela tenha consciência talvez possa parecer um pouco ofensivo, ainda mais para os vitimistas.

Dito isso, o melhor é que você não aponte para a pessoa com a qual está lidando para dizer como você está cansado de ouvir o quanto ela reclama da vida, enquanto não faz nada para mudar.

Você pode ajudar, ou melhor, lidar com essa pessoa de uma forma mais tranquila, deixando os julgamentos de lado.

É um comportamento irritante? Sim, mas você precisa ser empático, afinal, como eu disse, a esmagadora maioria realmente acredita que é a vítima da sua própria vida – e agora você tem essa clareza.

Porém, cuidado para não cair na manipulação emocional, ou seja, não sinta pena da pessoa antes de questionar sobre a situação e ter certeza de que realmente é algo que ela precise de ajuda e não que está apenas querendo chamar a atenção.

Algo interessante de se fazer é chamar a pessoa para uma conversa franca, caso tenha intimidade, claro. Não diga que ela se vitimiza, mas fale o quanto você acredita que essa pessoa não está usando todo o seu potencial para resolver seus problemas.

Se nada funcionar, ou se estiver sentindo que a negatividade está prejudicando sua vida, pense em se afastar.

Ajudar os outros é de uma nobreza sem tamanho, mas você também precisa fazer o que é melhor para você e para a sua vida.

Conclusão

Agora você sabe como sair do vitimismo, então, intencionalmente, se livre dele.

Ser uma vítima ou um protagonista é uma escolha, então escolha não se tornar refém dos seus próprios problemas.

Se você não escolher ser um protagonista, você será, para sempre, uma vítima, um coitado, à mercê do mundo e das pessoas.

É isso que você quer?

Viver como o protagonista da própria história, mesmo que, às vezes, seja difícil, é a melhor coisa do mundo.

Portanto, não desperdice a possibilidade de ser, diariamente, a melhor versão de si mesmo.

Ter problemas, independentemente de quais sejam, logicamente, não é gostoso.

Mas eles são grandes fontes de aprendizado, então não faça dos problemas uma oportunidade de deixar a sua vida nas mãos do mundo externo, faça o máximo para usá-los como impulsionadores para engrandecer o seu mundo interno.

Se você, de fato, está comprometido em se tornar o protagonista da sua própria história, para se transformar na pessoa mais admirável que você vai conhecer na vida inteira, baixe imediatamente (de graça) o meu livro As 7 Poderosas Crenças Para Viver Uma Vida Sem Limites clicando aqui agora!

Um abraço 🙂

Sobre o autor

Rafael da Luz

Você se torna capaz de alcançar qualquer sonho na vida quando aprende a se desenvolver como ser humano. O desenvolvimento pessoal é o caminho para que você realize tudo o que mais deseja na vida. Não existem limites, existe conhecimento. Por isso, engrandeça.

4 comentários

  • Maravilha de artigo! Excelente! Muito bom mesmo! Temos sempre alguém com a síndrome de vitimismo por perto, não é mesmo! Vou compartilhar, creio que seja uma forma de ajuda.

    • Oi Marcia, tudo bem?

      É verdade, infelizmente sempre temos algum vitimista por perto. Fazer o quê? Se não podemos mudar a pessoa, podemos mudar o modo como reagimos diante do vitimismo da pessoa. E assim não nos permitimos sermos prejudicados pelo vitimismo alheio.

      Obrigado pelo comentário e pelo compartilhamento 🙂

  • Bom Dia Rafael!
    Estou buscando esta informação: “o que fazer para ajudar uma pessoa com vitiminismo em alto grau” e encontrei sua publicação, e me senti respondido, ou, pelo menos, indicou algum caminho.
    Convivo com uma pessoa extremamente vítimista e me envolvi por extrema compaixão (a partir de seu texto e outras reflexões é que tenho esta consciência agora). Isso tem 2 anos. A situação está insuportável. Estou muito triste por não ver saída. A cada confronto só sinto estar perdendo.
    Obrigado pela sua disponibilidade e cuidado neste texto. Me foi bastante útil.

    • Olá, Delta Charlie.

      Fico feliz que eu tenha conseguido lhe ajudar, de alguma forma. Realmente, conviver com uma pessoa extremamente vitimista não é fácil, e acaba drenando toda a sua energia. Acredito que você já sabe qual é a decisão a tomar. Você, internamente, já sabe, não é verdade? Basta ouvir o seu coração.

      Muito obrigado pelo comentário e desejo tudo de bom para você.

2 Compart.
Compartilhar
WhatsApp