Resumo do Livro Quem Mexeu no Meu Queijo (Spencer Johnson)

Resumo do Livro Quem Mexeu no Meu Queijo (Spencer Johnson) 1

No livro Quem Mexeu no Meu Queijo?, Spencer Johnson conta uma história sobre quatro personagens, dois ratos e dois duendes, que vivem em um labirinto, numa eterna busca por um queijo.

O queijo, uma metáfora daquilo que se deseja na vida, seja dinheiro, um relacionamento amoroso, um bom emprego, paz espiritual ou saúde, alimenta e faz os personagens felizes.

O labirinto é onde as pessoas procuram por essas coisas: a empresa onde se trabalha, a comunidade ou a família na qual se vive.

O queijo representa aquilo que você quer e o labirinto representa as dificuldades que você enfrenta para conseguir o que quer.

No resumo do livro Quem Mexeu no Meu Queijo?, você aprenderá como lidar com a mudança para viver menos estressado e ter mais sucesso no trabalho e na vida pessoal, através de ensinamentos que podem ficar para a sua vida inteira.

ATENÇÃO
Antes de continuar você pode baixar gratuitamente o livro As 7 Poderosas Crenças Para Viver Uma Vida Sem Limites clicando aqui.

Engrandece.com

*Você prefere este conteúdo em áudio, vídeo ou texto?*

Fique à vontade para escolher 🙂

Áudio


Vídeo

Texto

Identifique o Que Traz Conforto e Segurança

Sniff e Scurry eram ratos e Hem e Haw duendes. Toda a manhã eles colocavam suas roupas de corrida e saiam à procura de um queijo em um grande labirinto.

Enquanto os ratos agiam por instinto, os duendes usavam seus cérebros mais desenvolvidos para pensar a respeito dos caminhos escolhidos.

Mesmo assim, certo dia todos os quatro encontraram o grande Posto C, lotado de queijo.

Foi aí que, a partir daquele momento, os duendes começaram a acordar mais tarde e começaram a ir até o Posto C com calma, confiantes de que o queijo estaria lá pelo resto de suas vidas.

Inclusive, Hem e Haw chegaram até a se mudar para perto do Posto C, criando ali uma nova vida social, porque assim se sentiam seguros e satisfeitos.

Os ratos, por outro lado, continuaram a acordar cedo diariamente, passando sempre pelo mesmo caminho. Eles chegavam ao Posto C, tiravam seus tênis e os penduravam no pescoço, preparados para correr quando fosse preciso. Era só depois disso que aproveitavam o queijo.

Esse início mostra a rotina de vida dos personagens. Todos veem o queijo como uma fonte de comodidade, afinal, é isso o que eles buscavam.

Da mesma forma, pense em você.

Qual é o seu queijo? O que gera segurança e conforto para você? Onde você se apoia? O que você toma como certo na vida?

Fique Atento às Mudanças

Enquanto Hem e Haw sempre chegavam ao Posto C e comiam o queijo, agarrando-se a ele como se fizesse parte de suas identidades, com até certa arrogância, Sniff e Scurry sempre farejavam o queijo e inspecionavam todas as áreas do Posto C (e assim eles percebiam que o estoque estava diminuindo).

Foi aí que, certo dia, o queijo acabou, o que não foi uma surpresa para os dois ratinhos, que colocaram seus tênis de corrida e saíram à procura de um novo local.

Hem e Haw, por outro lado, ficaram perplexos. Como eles sempre chegavam mais tarde, pensaram que alguém havia mexido no queijo deles. Enquanto Hem ficou furioso, gritando que aquilo não era justo, Haw não foi capaz de agir, mantendo-se paralisado.

O fato é que mudanças, na sua vida, sempre acontecerão, quer sejam elas impostas pelas circunstâncias ou até buscadas por você.

Por isso, depois de perceber qual é a sua fonte de segurança, não se permita considerar que ela nunca mudará.

Analise constantemente, conhecendo os seus arredores, procurando por sinais de alguma coisa que possa vir a ocorrer.

Quanto mais atento você se mantiver para as mudanças, menos elas irão impactar e abalar você.

Aceite os Reveses

Depois do ocorrido, os duendes continuaram a visitar o Posto C na esperança de que o queijo estaria lá novamente. Eles pensaram que aquilo poderia ser um problema passageiro e que logo alguém iria repor o estoque.

Dessa forma, Hem e Haw chegavam cedo no Posto C e lá permaneciam sentados até que voltassem bem mais tarde para casa, morrendo de fome.

Os ratos, por outro lado, que continuavam procurando um novo local, acabaram encontrando o Posto N, que havia um novo queijo e um estoque muito maior do que o do posto C.

Com o passar do tempo, Haw começou a imaginar onde estariam os dois ratinhos e a própria vontade de explorar o labirinto começou a aumentar.

Sendo assim, tentou convencer Hem a deixarem o Posto C e buscarem um novo posto, mas Hem dizia que os dois já estavam velhos para isso, que iriam passar vergonha e que o melhor a ser feito era aguardarem uma nova reposição do queijo no Posto C.

Quando acontecerem mudanças na sua vida que tirem de você a sua fonte de segurança, aceite-as. Abra mão daquilo que você perdeu, porque se agarrar ao passado é sinônimo de se privar do futuro.

Ao invés de ficar preso no que passou, pense no que você pode fazer para melhorar a sua situação.

Busque Novos Horizontes

Com o passar do tempo, os duendes começaram a ficar fracos por causa do estresse e da fome.

Haw tinha a clareza de que a situação havia chegado no limite e não conseguia mais esperar. Ele entendeu que era ridículo fazer sempre as mesmas coisas e esperar colher resultados diferentes. Então ele riu de si mesmo.

Hem, por outro lado, continuava carrancudo e irritado, por isso achou ridículo quando presenciou Haw se preparando para enfrentar o labirinto.

Sabendo que não conseguiria persuadir seu amigo, Haw, antes de sair novamente pelos corredores, deixou uma mensagem na parede: “Se você não mudar, morrerá”.

Mesmo inseguro, Haw sabia que melhor do que sentar e esperar, era partir em busca de um novo local.

O único jeito de superar as perdas é olhando para frente, portanto, elabore novos planos e saia do lugar.

Supere o Medo

Enquanto andava pelo labirinto, Haw percebeu que ele mesmo já não era mais o mesmo, pois estava fraco e não tinha mais o gás de tempos passados.

Para piorar sua situação, ele se deparou com corredores escuros e ficou com medo. Para ele, seria mais fácil retornar para os caminhos que conhecia bem.

Mas, ao mesmo tempo, Haw também sabia que a única maneira de encontrar um novo queijo era explorando lugares nos quais ele nunca tinha ido.

Por isso, ele perguntou para si mesmo o que faria se não sentisse medo. A resposta estava clara: seguir por uma nova direção. E foi isso o que Haw fez.

Pouco tempo depois, Haw começou a se sentir bem. Ele achou aquilo curioso, afinal, ele não tinha nenhum queijo e não sabia para onde iria. Ele percebeu que essa era a sensação de liberdade que estava do outro lado do medo.

Além disso, Haw entendeu que não é preciso acabar com o medo para vencê-lo. Era só seguir em frente, mesmo com muito medo.

O fato é que o medo é uma grande causa de paralisação. E acaba se tornando uma desculpa para que você permaneça na zona de conforto.

Então, primeiramente, perceba o medo, saiba que ele existe. Em seguida, aceite o medo e se pergunte se ele realmente é tão ruim assim.

Qual é a pior coisa que pode ocorrer? O que você faria se essa pior coisa acontecesse?

Previna-se da melhor forma que você puder e siga em frente.

Não se Abale Com a Solidão

Enquanto procurava um novo local, Haw passou muitos dias sem encontrar nada, e em vários deles se sentiu extremamente sozinho. Ele quis que Hem estivesse com ele e até pensou em voltar para o Posto C.

Só que voltar significava abandonar a jornada. Ele percebeu que se quisesse a companhia de Hem, teria que se adaptar a rotina dele.

Sendo assim, Haw percebeu que, muitas vezes, o caminho é apenas seu, e cabe apenas a você trilhá-lo.

A verdade é que quando você começar a procurar por aquilo que quer é normal que você se distancie daqueles que não compartilham da sua busca.

Nessas horas, fique tranquilo, esteja ciente de que isso faz parte do processo.

Defina o Seu Objetivo

Enquanto caminhava, Haw sentia que vagava sem rumo pelos corredores. Ele começou a perceber que esse sentimento o desmotivava e, por isso, tratou de imaginar o seu destino.

Ele pensou em um grande salão cheio de seus queijos preferidos e se imaginou saboreando cada um deles.

A cena trouxe significado para toda aquela busca, aumentando as energias e a esperança de Haw.

Como disse Lewis Carroll: “Se você não sabe para onde vai, qualquer caminho serve.” Portanto, ter um objetivo a seguir não traz apenas esperança, mas deixa você mais atento para perceber as pistas que apontam o melhor caminho e gera mais embalo.

Ria de Si Mesmo

Quando as dúvidas faziam com que a mente de Haw quisesse abandonar a busca, ele percebia que para contornar a situação precisava se distanciar da situação.

Quando via a situação de longe, Haw percebia o quão ridículos eram seus pensamentos negativos e ria de sua própria insegurança.

Portanto, não se leve tão a sério. Dê alguns passos para trás e enxergue o panorama completo. Ria dos seus defeitos. Essa é a melhor maneira para assumir os seus erros e mudá-los.

Fracassos Virão

Depois de procurar muito, Haw encontrou um Posto de Queijo promissor, mas quando chegou lá percebeu que estava vazio.

Sua busca teria sido em vão? Haw riu da preocupação e continuou a andar.

Muito tempo depois, Haw encontrou alguns pedaços de um queijo novo. Ele comeu um pouco de queijo, ganhou forças para continuar, e guardou o resto no bolso.

Logo depois, Haw encontrou um novo Posto, que também estava vazio. Mas Haw não se deixou abalar e continuou em sua busca.

Os fracassos são naturais. Os sucessos instantâneos são raros. Quando aprende com os seus tropeços e desilusões, você se prepara cada vez mais para chegar aonde quer.

Experimente o Novo

Em um certo momento, Haw voltou para o Posto C e ofereceu o novo queijo para Hem, que recusou e disse que não tinha certeza se gostaria daquilo e que o melhor era aguardar pelo queijo antigo.

Decepcionado, Haw balançou a cabeça e voltou para o labirinto.

Quando você se agarra ao que já tem, ao comum, você se fecha para o novo.

Como você saberá se não existe alguma coisa melhor por aí, se você não se dá ao menos a chance de experimentar?

Encontre Satisfação no Caminho

Mesmo que não viesse a encontrar outro queijo, só pela busca, Haw já se sentia satisfeito e inabalável.

Ele caminhava pelo labirinto sabendo claramente o que queria, mas aproveitava cada passo dado.

Haw não se sentia mais fraco e impotente, suas inseguranças tinham ido embora e o ato de continuar seguindo em frente o energizava.

Esse, talvez, seja um dos maiores segredos para a felicidade. Porque a felicidade nunca está no fim do caminho.

Se, enquanto percorre o sucesso, você se esquecer de aproveitar cada passo da caminhada, é provável que você esteja indo para o lugar errado.

Entenda as Suas Crenças e Mantenha a Mente Aberta

Refletindo sobre suas mudanças de perspectivas, Haw notava a evolução de suas crenças.

Dessa forma, agradeceu por ter mantido a mente aberta e renovado suas crenças, além de se comprometer a jamais tornar suas crenças absolutas, mantendo-se sempre abertos para novos aprendizados.

Quando você limita as suas crenças, limita o seu próprio desenvolvimento. Tome muito cuidado com aquilo que você acredita, porque é provável que isso se ajuste as suas percepções de mundo para que você obtenha a comprovação.

Treinar a capacidade de receber novos estímulos sem recusá-los, procurando entendê-los para avaliar com transparência se fazem sentido ou não, é o único jeito de crescer.

Compartilhe o Que Sabe

Enquanto andava pelo labirinto, Haw registrava seus aprendizados nas paredes, com a esperança de que Hem pudesse se guiar por eles algum dia.

Da mesma forma, você, além de ajudar os outros, compartilhar seus aprendizados serve como um lembrete.

Ao repetir os seus aprendizados, você nunca mais irá esquecê-los. E sustentando a reflexão, pode ainda descobrir novas associações.

Persista

Depois de andar muito, refletir e amadurecer, Haw finalmente conseguiu encontrar o Posto N, abarrotado de queijo.

Em meio à fartura, Haw encontrou Sniff e Scurry.

Na sua vida, é preciso persistir, portanto, jamais desista.

Simplifique

Ao presenciar Sniff e Scurry aproveitando o Posto N, Haw entendeu que poderia aprender alguma coisa com eles.

Mesmo que o cérebro dos duendes fosse maravilhoso, permitindo que realizassem façanhas que os ratos jamais imaginariam, ele também era responsável por criar várias barreiras.

Existia algo que os ratos faziam melhor, justamente por não pensarem de forma complexa: simplificar as coisas.

Então Haw decidiu usar seu cérebro de duende para aprender com o passado e simplificar sua vida dali para a frente. Dessa forma, ele poderia ter o melhor dos dois lados, sendo flexível, não se confundindo com as crenças assustadoras e se adaptando rápido.

Haw também pensou em Hem e até cogitou voltar para o Posto C, para levar Hem até o posto N.

Mas, naquele momento, Haw já tinha entendido que a mudança precisava partir de Hem. Ele precisaria encontrar o próprio caminho, e ninguém poderia fazer isso por ele. Pelo menos, Haw deixaria pistas pelo labirinto.

Foi aí que Haw ouviu algo. Alguém se aproximava do Posto N.

Seria Hem?

Resumo do Livro Quem Mexeu no Meu Queijo?

E aí, gostou do resumo do livro Quem Mexeu no Meu Queijo?

Qual é a sua opinião sobre o livro?

Se você deseja comprar o livro, compre aqui agora.

Se quiser ler o próximo resumo, leia o resumo do livro A Coragem de Ser Imperfeito.

E para baixar de graça o meu livro digital, As 7 Poderosas Crenças Para Viver Uma Vida Sem Limites, clique aqui agora.

Sobre o autor

Rafael da Luz

Você se torna capaz de alcançar qualquer sonho na vida quando aprende a se desenvolver como ser humano. O desenvolvimento pessoal é o caminho para que você realize tudo o que mais deseja na vida. Não existem limites, existe conhecimento. Por isso, engrandeça.

Adicione um comentário

Compartilhar
WhatsApp