Sobre

S

Oi, eu sou o Rafael da Luz, criador e fundador da Escola Online de Desenvolvimento Pessoal Engrandece.

Sabe o porquê eu decidi criar esta escola online?

Porque todos nós somos seres sem limites, mas nunca aprendemos isso na vida. Todos nós podemos realizar qualquer coisa, mas não acreditamos que podemos.

Um dia eu entendi que eu era capaz de fazer qualquer coisa que eu quisesse. Um dia eu descobri que eu poderia me tornar quem eu quisesse me tornar.

O caminho para chegar até esse nível é o desenvolvimento pessoal.

A Escola Engrandece é o meio - o conhecimento - para tornar você apto para atingir os seus fins - os seus sucessos.

Aqui eu vou mostrar todo o conhecimento que você não aprende na escola, na faculdade e nem com os seus pais.

E você sabe o porquê do nome Engrandece? Se você digitar "engrandecer" no dicionário, você encontrará as seguintes definições para a palavra:

1. Aumentar.
2. Figurar maior que a realidade.
3. Exagerar.
4. Elevar em dignidade.
5. Enobrecer.
6. Tornar memorável.
7. Exaltarlouvar.
8. Tornar-se grande.
9. Tornar-se poderoso.
10. Crescer em honras.
11. Elevar-se.
12. Tirar glória.

Eu preciso dizer mais alguma coisa?

Você engrandece!

Você pode se engrandecer, basta querer.

E sabe como eu cheguei até aqui?

Durante a vida inteira os meus pais trabalharam para que eu e o meu irmão tivéssemos uma boa educação, conseguíssemos arrumar um bom emprego e tivéssemos uma vida satisfatória.

Nunca tivemos rios de dinheiro, mas nunca nos faltou o básico. Desde criança eu sempre fui muito inquieto, arteiro, e um sonhador com muitas ideias.

Só que pelo rumo que a vida normalmente leva, até o final da minha adolescência eu vivi uma vida comum, uma vida na média, eu segui o rumo padrão que nos é ensinado. Eu seguia o “fluxo” ditado pela hereditariedade social, a herança psicológica que herdamos da sociedade de geração para geração.

Normalmente, os nossos pais, a escola e a sociedade podam os nossos maiores sonhos e nos “obrigam” a seguir um caminho na vida que é considerado como o melhor.

Porém, há exatos 10 anos, eu comecei a sentir uma grande inquietação, eu comecei a me sentir como um peixe fora d’água. Eu me sentia frustrado, perdido, inconformado e infeliz com a vida que eu estava levando e criando.

Eu sentia que, faltava alguma coisa, eu sentia que a vida que havia sido me apresentada não era a mais satisfatória possível. Eu me sentia preso. Alguma coisa me dizia para eu seguir por outro caminho, mas eu não sabia qual era o caminho.

Você conhece aquele sentimento de não ter liberdade total? Aquele sentimento do tipo “Eu não quero ficar aqui fazendo isso. Só que, se eu não fizer isso, o que eu vou fazer então? Se eu não fizer isso, quem eu vou me tornar? Quem eu vou ser? Eu não vou ser ninguém?”.

Eu não via sentido, eu não enxergava sentido. Era um conflito externo e interno. Ao mesmo tempo em que eu me sentia preso, eu não sabia como me livrar daquela prisão sem grades.

Era uma prisão tanto física, porque eu precisava estar em lugares que eu não queria estar e precisava fazer coisas que eu não desejava fazer, afinal, tudo aquilo era o “correto”, e também era, principalmente, a pior das prisões, a prisão psicológica, a prisão mental.

Eu sentia uma falência emocional.

Eu empurrava a vida com a barriga e ao mesmo tempo eu tinha a certeza que eu poderia ser muito mais do que aquilo que eu estava me tornando.

Eu tinha o forte desejo de ser bem-sucedido, eu desejava ser reconhecido, eu desejava ser útil, eu desejava me auto expressar, eu desejava ser livre e eu desejava desenvolver o meu máximo potencial.

Eu sabia internamente que poderia chegar muito mais longe porque eu não me sentia um ser humano completo. Eu desejava tudo isso, mas eu não sabia como atingir esses ideais.

E foi a partir dessa inquietação e desse misto de determinação, insegurança, desejos profundos e medo, que eu comecei, com pequenos e gradativos passos, uma nova jornada na minha vida porque eu não conseguia mais deixar a vida me levar.

Eu queria de alguma maneira tomar um novo rumo na vida, eu queria tomar as rédeas do meu destino. Eu queria deixar de ser coadjuvante e me tornar protagonista.

No fundo, internamente, muito intimamente, nós sempre sabemos quando está na hora de mudar. Você sabe quando é hora de mudar. Aquele foi o meu momento de descoberta.

Só que crescer dói, crescer não é fácil.

Superar desafios, vencer obstáculos internos e ficar frente a frente com as nossas feridas emocionais, aquelas que conhecemos conscientemente e até aquelas que conhecemos apenas inconscientemente, é uma de nossas batalhas mais difíceis.

E nessa jornada, naquele momento, ao mesmo tempo em que eu estava determinado a mudar o rumo da minha vida, eu sentia uma grande insegurança para de fato tomar uma forte decisão e agir porque eu tinha medo do futuro e, além disso, eu mesmo me impunha muitas limitações, eu não acreditava que era capaz de conseguir.

Eu sentia muito medo do “e se”.

E se acontecer isso? E se acontecer aquilo E se der tudo der errado? E se eu falhar?

E muitos outros “e ses”.

Foi por isso que, por muito tempo, mesmo com esse forte desejo de mudança, eu permaneci parado, estagnado, sem me mexer, sem tentar mudar mesmo sabendo que eu poderia mudar. Eu continuei empurrando a vida com a barriga.

Não é fácil lutar contra as próprias limitações. Muito menos quando nós nem conhecemos essas limitações. Não é fácil ir contra o status quo. 

Não é fácil rever a vida e decidir se tornar uma nova pessoa. Não é fácil abandonar antigos hábitos e iniciar novas práticas. Não é fácil se desvencilhar de uma perspectiva de mundo que você tem desde que nasceu para abraçar outras completamente novas.

Definitivamente, não é fácil largar um sistema de crenças, ideias, ideais, virtudes e objetivos, e lutar por outros muitos mais elevados.

Só que nessa trajetória eu fui auxiliado por mentores, e foi isso que transformou completamente a minha vida. Na minha história, dois fatores foram essenciais para eu me transformar e estar aqui agora falando com você: exercícios físicos e livros.

Eu posso dizer que os exercícios físicos e os livros foram e continuam sendo os meus maiores mentores de vida.

Existem pessoas que bebem, existem pessoas que fumam, existem pessoas que usam drogas ilícitas, existem pessoas que jogam. Enfim, as pessoas têm muitos vícios.

Eu já tive vícios ruins, só que, há 10 anos, eu troquei os meus vícios por exercícios físicos e pela leitura.

Eu comecei a praticar exercícios – especificamente a musculação – para ter mais autoestima, e depois eu me apaixonei por esse estilo de vida porque se tornar um atleta é sinônimo de se desenvolver ao máximo como ser humano.

Eu lembro muito bem daquele dia, 28/04/2008, o dia que mudou completamente a minha vida, o dia que eu comecei a treinar musculação.

Imagine a cena, o dia era 28 de abril de 2008, uma segunda-feira às 14:14 : com 17 anos de idade eu piso, magrelo e desengonçado, pela segunda vez na vida (em 2007 eu havia feito dois meses de musculação e desistido) em uma academia de musculação.

Eu havia decidido, iria me matricular em uma academia e ficar forte. Eu buscava inconscientemente, mais autoestima, autoconfiança, autoafirmação, poder, status. Eu queria ser notado, quero fazer alguma diferença.

Minha meta inicial era treinar três vezes na semana, segunda quarta e sexta. Estava de bom tamanho, não é? Para que me esforçar tanto?

Só que uma hora depois, eu saía, descendo as escadas, uma escada branca, que lembro até hoje, com as paredes pintadas de vermelho.

Eu vou desci aquela escada, olhando para aquelas paredes, pensando “Que sensação é essa? O que eu estou sentindo? Que prazer é esse? Que euforia é essa?Nunca imaginei sentir algo assim depois de me matar com alguns pesos”.

Sabe o que era aquilo? Endorfina, especificamente, beta-endorfina, um neurotransmissor liberado no corpo humano após a prática de exercícios físicos e do orgasmo.

Naquele momento, falei para mim mesmo “Eu vou fazer isso isso para o resto da vida. Eu quero essa sensação todos os dias, para o resto da minha vida. Eu quero viver essa vida pelo resto da vida. Três vezes na semana? Que nada! Eu venho cinco!”.

Eu me apaixonei pela musculação e isso se tornou o meu estilo de vida. Eu comecei a estudar sobre tudo o que envolvia o universo da musculação e naturalmente comecei a levar uma vida de um fisiculturista, com muita disciplina dentro de uma rotina de alimentação, treinamento e descanso extremamente regrada.

Tudo isso me fez desenvolver uma extrema disciplina, um foco avassalador, uma persistência incansável e uma certeza de realização inabalável. Minha mentalidade foi moldada na base da musculação, e eu só consegui perceber isso muitos anos depois.

Através da musculação eu criei o hábito mais poderoso do mundo, o hábito da força de vontade, o hábito de tomar decisões sem esmorecer. O hábito de vencer a si mesmo.

O fato é que para você atingir qualquer sonho e meta na vida, você precisa de conhecimento para descobrir o trajeto a ser percorrido e combustível para conseguir percorrer o trajeto até o final.

O combustível é criado a partir do desenvolvimento da sua inteligência emocional.

Quanto mais você desenvolve a sua inteligência emocional, mais combustível emocional você tem para continuar firme na trajetória. É aqui que a maioria das pessoas falha. Elas até sabem o quê fazer, mas não conseguem continuar fazendo até chegar aonde querem chegar.

Eu passei 10 anos desenvolvendo a minha inteligência emocional através da musculação. Foi isso que fez com que eu adquirisse o poder de conseguir continuar caminhando em qualquer trajetória até chegar no final, independentemente  dos obstáculos a serem enfrentados.

E como eu falei, você também precisa de conhecimento, precisa saber o quê e como fazer. Foi nessa parte que os livros entraram na minha vida.

Os livros abrem muitas portas e nos fazem enxergar outros mundos e realidades que nunca havíamos imaginado que existissem.

Existem mundos extraordinários. A questão é: por que nós não vivemos neles?

Em grande parte porque não conhecemos esses mundos, não acreditamos que é possível chegar nesses mundos, não temos a crença de que nós somos capazes de chegar lá e não sabemos como chegar lá.

Mas muitas pessoas vivem nesses mundos, então qualquer um poder chegar lá.

Mas para chegar lá, você precisa do conhecimento para chegar, você precisa saber o quê e como fazer. Os livros me mostraram o quê e como fazer para atingir os meus sonhos.

A musculação e os livros me inspiraram, me inspiram, me motivaram, me motivam, me elevaram e me elevam.

A musculação e os livros me levaram e continuam me levando para outro patamar. A união da estratégia certa com o desenvolvimento emocional é a chave para você atingir tudo que você mais queira na vida.

Foi nessa época que eu comecei a minha transformação mental completa. Quando você soma a mentalidade de atleta, toda a força mental que você adquire, todas as lições que você aprende no esporte, junto com o conhecimento de grandes mentes, grandes lições de gigantes seres humanos, você cria uma combinação imbatível que torna você imparável e inabalável.

A partir dessa combinação fantástica eu comecei a entrar de cabeça na minha busca pelo meu sucesso. Eu decidi deixar de ser guiado e passei a começar a conduzir a minha vida conforme os meus próprios termos.

A musculação e os livros, os meus grandes mentores, me fizeram continuar firme na jornada apesar de todas as forças internas e externas contrárias atuando.

E quando você continua firme diante das suas maiores convicções contra a sua própria resistência interna, você se fortalece cada vez mais.

Quando você é guiado por si próprio, você se fortalece cada vez mais, cada vez mais você se ama mais, cada vez mais você se sente mais autoconfiante, cada vez mais você perde a timidez, cada vez mais você fica mais forte diante da vida e de todos os obstáculos que ela apresenta.

Quanto mais você toma decisões por si próprio, decisões alinhadas com o que você mais quer na vida, mais você se compromete e fica disposto a evoluir e a buscar incansavelmente o seu sucesso.

Você chega em um ponto decisivo onde você tem que decidir entre levar a vida como sempre havia levado ou se comprometer em se esforçar ao máximo para crescer e mudar. E nesse ponto, eu enfrentei mais um dos testes mais difíceis que podemos enfrentar: a resistência.

E agora, não apenas a minha própria resistência como falei anteriormente, não somente a minha dificuldade em sair da zona de conforto e tentar mudar, não somente os meus próprios demônios internos, as minhas fragilidades emocionais e os meus grandes medos, mas também a resistência das outras pessoas.

Não é fácil ir contra tudo e contra todos. Não é fácil ser julgado e taxado como um louco, um sonhador, uma pessoa anormal, principalmente quando são as pessoas mais próximas de você que o julgam, apontam e criticam.

Não é fácil ver as pessoas que você mais ama indo contra você, as pessoas que você mais ama falando “Cara, desiste, não vai dar, você não vai conseguir, chega, para de se esforçar em algo que não vale a pena”.

E as pessoas falavam tudo isso não por maldade, mas porque elas queriam o melhor para mim.

Não é fácil ser bombardeado pela sociedade por todos os lados. Todos falando que é muito difícil, que não tem solução, que é impossível, que você tem que tomar jeito na vida e fazer o que é o certo.

Você quer ir para um lado e todos os outros dizem para você seguir pelo outro lado. É apenas você acreditando em você, e, em muitos momentos, você próprio desacreditado.

É a sua vida em jogo, e nessa hora, é apenas você de um lado contra o mundo do outro. E é exatamente nesse momento, quando você assume a responsabilidade, quando você persiste diante de tudo porque coloca fé total em si próprio, que você transforma os obstáculos em degraus, transforma a resistência em força, e se torna imbatível.

Em 2011, eu tomei, através de todos os conhecimentos com os quais eu entrava em contato diariamente somados com a força mental que fui adquirindo através da prática da musculação, uma das grandes decisões da minha vida: eu larguei a faculdade pública de Educação Física que eu já havia terminado vários semestres, larguei um emprego que eu tinha nessa área, e decidi começar a empreender online.

Fui taxado como maluco e todos ao meu redor não acreditavam em mim. De um lado estava a faculdade pública e um diploma universitário, o que em nossa cultura é visto como uma obrigatoriedade para qualquer pessoa, e do outro lado o meu sonho de empreender sozinho, com pouco dinheiro para investir e sem nenhuma experiência em empreendedorismo.

E olhando para minha vida lá atrás, quando eu era criança, eu percebo que sempre tive uma veia empreendedora pulsando aqui dentro. Desde criança eu tinha ideias de negócios.

Por volta dos 9 anos, como toda criança, eu adorava doces. Então eu descobri perto do trabalho do meu pai uma loja que vendia doces em atacado e rapidamente tive um insight: abrir uma barraquinha de doces na avenida perto da minha casa.

Para mim era simples. Se eu comprasse uma caixa com 100 bubbaloos por R$10,00, e vendesse cada um por R$0,20, eu teria um lucro de 50% (0,10 centavos) sobre cada bubbaloo.  Talvez por falta de incentivo eu não tenha levado essa ideia adiante.

Hoje eu penso: será que se eu tivesse levado à frente aquela ideia, eu seria um grande fabricante de doces? Talvez sim, talvez não.

Isso me remete a situação em que Steve Jobs, tentando persuadir John Sculley, presidente da Pepsi na década de 80, fala: “Você quer vender água com açúcar pelo resto da vida ou quer mudar o mundo?”.

Se eu tivesse levado minha ideia à frente, será que hoje eu estaria vendendo açúcar ou mudando o mundo?

Quando eu tinha por volta de 11 anos, convoquei meu irmão e meus amigos para juntarmos todos os gibis que possuíamos para sairmos vendendo na vizinhança.

Na primeira casa que batemos conseguimos vender um gibi velho (talvez pela bondade do vizinho que viu um bando de crianças tentando vender gibis), que custava R$2,50, por R$10,00. Os meus olhos brilharam.

Por falta de fregueses nosso negócio não foi muito adiante e “quebrou” depois de alguns dias.

Quando criança eu também descobri que existia o tal do “dinheirinho falso”, vendido em lojas de 1,99. Perto da casa da minha vó existia uma lojinha que vendia o dinheiro falso. Eu ficava fascinado com aquilo, com a ideia de comprar e vender, mesmo que de brincadeira.

E foi então que comprei o dinheiro falso e chamei minha prima, a Nana, para brincarmos de venda na casa da avó. Na casa da minha vó havia um balcão na cozinha, o que caracterizava uma perfeita “venda”.

Quem ficava atrás do balcão era o vendedor e quem ficava na frente era o comprador. E assim nós dois vendíamos e comprávamos queijos, pães, sucos e mais qualquer outra coisa que existisse na cozinha da minha vó 🙂

Por ter um espírito empreendedor, quando decidi largar a faculdade, eu assumi o risco, fui para cima, e mais uma vez a batalha começava: eu, os meus sonhos e os meus mentores de um lado contra a minha própria resistência interna fundamentada no medo, junto com o mundo, do outro lado.

Se você fala para alguém que decidiu largar a faculdade pública e decidiu empreender, no Brasil, você vai ser taxado como louco.

Esteja certo de uma coisa: quando você tenta mudar, em qualquer âmbito, para começar a realizar algo que seja diferente do comum, você vai passar por testes.

Eu larguei a faculdade, deixei de lado todo o tempo investido no curso e toda a perspectiva de carreira que eu poderia ter na área e entrei em um mundo totalmente desconhecido.

Em 2012 eu parei, pensei e iniciei um plano de seis meses onde permaneci estudando e aplicando tudo o que eu aprendia sobre empreendedorismo digital, um mundo totalmente novo e de grandes oportunidades que eu havia descoberto.

Depois desses 6 meses estudando e trabalhando o dia inteiro, eu lancei o meu primeiro negócio online: era um site onde eu vendia um e-book, um livro digital.

Eu tinha muita confiança que meu negócio daria certo porque eu havia enxergado uma grande oportunidade, mas eu também sabia que não seria fácil, até porque eu tinha pouco dinheiro e zero experiência em negócios e marketing.

Você sabe qual foi o meu resultado nessa primeira experiência?

Eu fracassei miseravelmente!!!

Foi um banho de água fria para quem havia passado 6 meses estudando e trabalhando desde de manhã cedo até de noite.

Depois disso, ainda em 2012 eu desisti do empreendedorismo digital e fui fazer um cursinho pré-vestibular com o intuito de iniciar uma nova faculdade, de medicina.

Eu pensava apenas no dinheiro, por isso eu não tinha motivação nenhuma para estudar. Não é de medicina que eu gosto. Não pela medicina a minha grande paixão.

Imagine como eu sentia naquele momento. Eu não tinha motivação para estudar para uma faculdade que eu só “queria” fazer pelo dinheiro. Eu fazia porque era “obrigado” a realizar algum curso para ser “alguém na vida”.

Eu havia largado uma faculdade pública e dedicado quase um ano da minha vida ao empreendedorismo com resultados insignificantes.

E aí eu me senti, pela primeira vez, fortemente perdido na vida, sem faculdade, com um negócio fracassado e sem perspectiva, sem um rumo, sem saber o que fazer.

E aí sabe o que eu fui fazer? Desisti de fazer cursinho porque eu detestava aquilo e fui procurar emprego, qualquer emprego que eu conseguisse para ganhar algum dinheiro.

O emprego que eu consegui foi em uma cafeteria como atendente. É lógico que a minha família não queria isso para a minha vida. Eles queriam que eu fizesse uma faculdade.

Naquela época eu também voltei a ter vícios ruins pra conseguir mascarar e também amenizar as pressões emocionais.

Pense comigo, imagine você mesmo se cobrando e pensando “Caramba, tudo o que eu acreditava deu errado, eu desisti de algo certo por algo incerto e realmente não deu certo, não funcionou. O medo de dar errado realmente se concretizou. E agora? O que eu vou fazer da vida?”.

Imagine as pessoas mais próximas de você no seu ouvido falando “Tá vendo? Não falei para você? O que eu te disse? Ahn? Eu falei que não ia dar certo. Eu sabia que ia dar errado mas você não me escutou”.

Essa foi uma fase obscura da minha vida onde eu realmente fiquei bastante triste e desmotivado, sem ambição. Eu mesmo me diminuía porque na minha cabeça eu havia fracassado completamente.

Eu já não tinha mais grandes ambições na vida, eu achava que a vida era isso mesmo, eu achava que pessoas que se deram bem na vida tinham sorte – e nós somos constantemente bombardeados com informações que nos induzem a pensar dessa maneira.

Eu precisei enfrentar o meu eu mais escuro e os meus maiores medos porque a mente inabalável que eu vinha fortalecendo há muitos anos, tinha se enfraquecido.

Eu permaneci nesse limbo durante quase um ano, do final de 2013 até quase o fim de 2014.

E geralmente as coisas precisam piorar antes de melhorar. Quase tudo que vai, volta. Dizem que quando você chega ao fundo do poço, a única opção é subir. Foi o que aconteceu comigo.

Na realidade, aquele período obscuro foi o grande momento de virada e o maior pico de transformação da minha vida por um motivo que posteriormente você vai entender.

O fato é que naquela época, em algum momento, navegando na internet, eu entrei em contato com uma informação. Eu descobri que um homem no mundo ganhava cerca 620 reais por segundo.

Esse homem é o Bill Gates, um empreendedor. A partir disso eu comecei a estudar profundamente a vida e a história dos maiores empreendedores do mundo e fui descobrindo que todos haviam fracassado muitas vezes antes de alcançarem algum sucesso.

Eu descobri que por trás das grandes histórias de sucesso, existe uma série de falhas que não nos contam. Eu percebi que o fracasso é parte integrante do sucesso.

E com essa nova visão eu decidi me tornar um dos maiores empreendedores do mundo. E esse caminho, o caminho que um empreendedor precisa trilhar, assim como o caminho de um atleta, é um caminho de desenvolvimento pessoal extremo.

Para você ter sucesso, em qualquer área, você precisa se tornar o sucesso. Para se tornar um empreendedor de sucesso, primeiro você precisa se tornar uma pessoa de sucesso. O externo é apenas um reflexo do interno.

O empreendedorismo é mais um dos grandes pilares que transformou a minha vida porque ele me obrigou a me desenvolver como ser humano de um modo que eu nunca imaginei e fez com que eu entendesse o meu propósito de vida. O empreendedorismo fez com que eu conseguisse me encontrar no mundo.

Foi aí que eu decidi largar o meu emprego na cafeteria e voltar para o empreendedorismo online com foco total, principalmente porque eu entendi a minha maior motivação de todas, o meu grande propósito para fazer isso.

Só que mesmo assim, nada foi fácil. Eu precisei me especializar, e muito. Eu precisei somar todas as partes da minha vida para atuar como um empreendedor. E eu consegui. Hoje sou um empresário digital.

O mais incrível de tudo é que, como disse Steve Jobs no discurso na Universidade de Stanford, a nossa vida é um grande liga pontos:

Você não consegue ligar os pontos olhando para frente; você só consegue ligá-los olhando para trás. Então você tem que confiar que os pontos se ligarão algum dia no futuro. Você tem que confiar em algo – seu instinto, destino, vida, carma, o que for. Esta abordagem nunca me desapontou, e fez toda diferença na minha vida.

Cada fracasso que, temporariamente parece nos destruir, na verdade é mais um teste em nossa escalada da vida e nós sempre descobriremos que são partes essenciais de nossa evolução.

É fantástico como eu liguei os pontos da minha vida. Todos os pontos que pensamos ser desconexos, na realidade estão sempre muito interligados.

Cada vivência em cada época da minha vida, cada fracasso, cada acerto, cada experiência, cada lição aprendida, cada eu que eu já fui, tudo se somou e me levou até o que eu sou hoje.

Eu sou hoje, e continuo me tornando a cada dia, a minha melhor versão. E é isso que todos, sem exceção, não só podem, como devem buscar.

É isso que você deve se tornar: a sua melhor versão.

O ser humano extraordinário que existe aí dentro, precisa florescer. Você precisa escolher vencer a si mesmo. O seu lado mais fantástico está aí dentro, talvez adormecido. É possível despertá-lo.

Renascer como outra pessoa implica em uma difícil escolha. A escolha de vencer a si mesmo, todos os dias, a escolha de abandonar velhos hábitos e crenças. Você precisa estar disposto a trilhar este caminho.

Por experiência própria, é o caminho mais recompensador do mundo. A maior prova da minha transformação é eu estar aqui falando com você, criando vídeos, criando artigos e áudios para falar sobre desenvolvimento pessoal, mentalidade, produtividade, performance e empreendedorismo.

Eu precisei vencer a mim mesmo todos os dias durante 10 anos para estar aqui agora. Se você me visse há 10 anos você nunca falaria que eu estaria aqui hoje, nem eu mesmo diria.

Nesse tempo todo eu li mais de 200 livros, realizei mais de 40 treinamentos online de desenvolvimento humano e empreendedorismo e assisti a centenas de palestras online e presenciais.

Eu vivi na prática a busca incessante pelo meu sucesso. Não são 10 dias. Não são 10 meses. São 10 anos. Nesses 10 anos eu vim construindo e moldando o meu sucesso.

Hoje me sinto reconhecido, me sinto útil, expresso a minha arte e crio a minha obra. Eu sou livre e liberto cada vez mais o meu potencial, eu elimino a cada dia mais as minhas próprias limitações.

E acima de tudo isso, eu compreendi o sentido da vida, o sentido da minha vida, eu sei claramente qual é o meu propósito.

Em um dado momento da minha vida nessa minha jornada na última década eu comecei a me questionar o porquê eu queria ser bem-sucedido, o porquê eu queria construir um negócio do zero que me gerasse milhões de reais.

E nesse processo eu comecei a listar os meus porquês.

Eu queria independência financeira, eu queria liberdade de tempo, eu desejava autonomia, eu queria ser o meu próprio chefe e não precisar dar satisfação para ninguém.

Eu desejava ter mais conforto, eu queria comprar um bom carro, uma boa casa, eu queria comer nos melhores restaurantes do mundo. Eu queria viajar pelo mundo.

Eu queria realmente ganhar bastante dinheiro, e isso é legítimo, isso é válido.

Quem não quer ter mais dinheiro para ter uma qualidade de vida melhor? Quem não quer ter mais dinheiro para proporcionar melhores condições de vida para a própria família?

Só que procurando entender mais a fundo, eu comecei a descobrir um dos reais e maiores porquês de eu querer ser uma pessoa extremamente bem-sucedida. E foi aí que eu encontrei um desses grandes porquês.

Eu descobri que lá no fundo, no fundo da mente, inconscientemente eu tinha um forte desejo de unir a minha família novamente porque por muito tempo na minha vida o meu pai e o meu irmão permaneceram brigados, por alguns anos eles mal se falaram.

Eles conviviam lado a lado, sob o mesmo teto, dia após dia, e não conversavam.

Você imagina o que é isso? Essa situação não refletia negativamente apenas no bem-estar deles, mas também, e muito, no meu bem-estar e no bem-estar-da-minha mãe.

Um ambiente estressante, pesado, rancoroso, um ambiente com mágoas não faz bem para ninguém e impacta todos que estão presentes nele.

E um dos principais motivos por eles terem passado por essa situação era a falta de dinheiro. E claro que esse não era o único motivo, existiam questões mais profundas e não resolvidas por trás, mas no meu entendimento, pelo que eu enxergava, a falta de dinheiro era uma das grandes razões.

E eu percebi que esse tinha sido um dos grandes porquês que eu tive na vida, e eu não sabia disso na época. Eu queria me tornar um empresário bem-sucedido e ganhar muito dinheiro, não só pela minha própria autonomia mas também para unir a minha família novamente como quando eu e o meu irmão éramos crianças.

Eu queria olhar para eles e falar “Olha só, vocês não precisam mais brigar agora, chega, tá aqui, tem dinheiro aqui. Agora vamos juntos de novo, vamos voltar a viver aquela alegria. Pronto. Acabou”.

Eu começava ali a entender que o que realmente move uma vida grandiosa é um propósito grandioso. A grande verdade é que você percebe que o dinheiro não importa mais do que o necessário, ou seja, ter uma casa, conseguir se alimentar e manter a sua saúde.

Tudo acima disso é descartável. Você percebe que o dinheiro não vale nada frente ao imenso valor de um ser humano, frente ao imenso valor dos seres humanos, ao imenso valor de você ajudar as pessoas.

Ajudar porque você ama ajudar. Ajudar porque você percebe que é só assim que você se sente realmente feliz e realizado, quando você ajuda.

O melhor modo de encontrar a si mesmo é se perder ajudando os outros.
Mahatma Gandhi

Quando você almeja metas puramente financeiras, externas, você começa a perceber que falta algo a mais, você começa a sentir um novo vazio, você realmente descobre que dinheiro não vale muito, você entende que o dinheiro é a menor das riquezas.

Eu acho que todo mundo deveria ficar rico, famoso e fazer tudo o que sempre sonharam, para que possam ver que essa não é a resposta.
Jim Carrey

Foi ao sentir esse vazio que eu encontrei o meu propósito. Eu entendi a minha grande missão, o meu grande porquê, o meu big why: ajudar pessoas.

Transformar a humanidade, deixar o meu legado na Terra, passar por essa vida e saber que eu transformei outras pessoas. Essa é a minha maior batalha. Eu sou um louco sonhador. E não importa o que os outros pensam.

Eu vou fazer com que cada vez mais pessoas enxerguem um novo horizonte e uma nova perspectiva de vida, sonhem grande e saiam do fluxo, pensem fora da caixa, despertem o gigante interior adormecido que existe dentro de cada ser humano.

A vida é muito mais do que aquilo que nos é transmitido desde que nascemos. Nós somos capazes de realizar qualquer coisa nesse mundo. Nós somos capazes de mudar a nossa realidade e a realidade das pessoas que nos cercam.

Nós realmente podemos transformar o mundo. O primeiro passo é você transformar a si mesmo. Você pode ser tudo aquilo que você sempre sonhou, basta tomar a decisão de assumir a responsabilidade pelo protagonismo da sua vida, assumir a responsabilidade por viver com paixão e propósito.

Você precisa assumir a responsabilidade por se libertar da inércia imposta pela hereditariedade social, essa programação que recebemos pronta do sistema que nos limita completamente, limita o nosso desenvolvimento e consequentemente o nosso sucesso.

Menos empreendedores são formados, menos criatividade é expressada, menos inovadores se destacam, menos o mundo se transforma, mais as pessoas sofrem e menos a humanidade se desenvolve.

A minha missão é ajudar você a se libertar dessa programação medíocre porque quando você consegue se libertar, quando você consegue seguir por outro caminho, você inicia o processo, o processo em que você se torna um ser humano imparável, um ser humano inabalável, um ser humano imbatível.

Quando você entende a chave você liberta o potencial gênio que existe aí dentro e começa a assumir o controle da própria vida. É assim que você deve e merece viver. Você merece viver uma vida sem limites.

A minha maneira de gerar uma transformação em massa no mundo é através do empreendedorismo digital porque assim eu tenho a possibilidade de impactar bilhões de pessoas. Eu vou criar a maior plataforma online de desenvolvimento pessoal do mundo.

O que eu amo no empreendedorismo não é nem de longe o patrimônio multimilionário ou bilionário que nós podemos criar. O que eu amo de verdade dentro do empreendedorismo é o processo de desenvolvimento pessoal que o empreendedor passa.

O processo de autodescoberta, autotransformação, autodesenvolvimento extraordinário que o empreendedor é obrigado a passar, esse caminho fantástico que um empreendedor é obrigado a trilhar.

Uma pessoa que transforma o mundo transforma o mundo porque antes de tudo ela transforma a si própria. Um agente de mudança muda a si mesmo e se torna um líder, o líder da própria vida.

A partir disso ele começa a transformar todos que estão ao seu redor. Essas pessoas transformadas também se tornam líderes e começam a transformar quem está em volta delas.

Esse ciclo extraordinário de prosperidade e desenvolvimento extremo é o que eu amo. Uma pessoa que se transforma começa a transformar e mudar o mundo. Ela muda a realidade dela e a partir disso começa a mudar a realidade das outras pessoas.

Eu acredito que o empreendedorismo e o desenvolvimento constante dos seres humanos, dois campos extremamente interligados, são duas gigantes forças propulsoras para transformar o mundo e o Brasil.

Eu quero criar uma nação de campeões, um país de campeões, um país empreendedor, um país desenvolvido, um país inabalável.

E sempre existirão as pessoas do contra. Sempre existirão as pessoas que não acreditam. Sempre. Só que eu não falo com elas, eu falo é com você. Você que está lendo esse texto até agora. Porque eu sei que você também acredita e também está comprometido.

Eu acredito nas pessoas, eu acredito na genialidade inata que existe dentro de cada um. Eu acredito demais em você. E eu sou maluco o suficiente para ter a certeza que eu vou cumprir a missão.

Somente os verdadeiramente loucos, aqueles que são capazes de acreditar de verdade nos próprios sonhos, são os verdadeiramente capazes de realizá-los. E é por isso que eu estou aqui. Esse é o meu grande porquê, essa é a minha grande missão. Eu vou até o fim para deixar o meu legado.

Lembre-se sempre que mais importante que o conhecimento, é o autoconhecimento.

Antes de querer mudar o mundo, você deve mudar a si mesmo.

Você precisa se transformar para transformar o mundo.

Seja a mudança que você deseja ver no mundo.
Mahatma Gandhi

Se quiser me seguir as minhas redes sociais, basta clicar no link de cada uma ao final dessa página.

Caso queira conversar comigo, me envie uma mensagem pelo formulário de contato.

Será um prazer 🙂

Um grande abraço!!!