Resumo do Livro Motivação 3.0: Drive (Daniel Pink)

Resumo do livro Motivação 3.0: Drive

Para você, qual é a melhor maneira para motivar alguém?

A maioria das pessoas acredita que oferecer algum tipo de recompensa como dinheiro, promoções ou prêmios é o melhor jeito.

Mas, para Daniel Pink, isso está errado.

Para o autor, o segredo da motivação está ligado à necessidade humana de autonomia, criatividade e de melhorar o mundo para todos.

No livro Motivação 3.0 – Drive, baseando-se em décadas de pesquisas científicas, Daniel Pink mostra a incongruência existente entre a ciência da motivação e as práticas das empresas, explicando como isso afeta a nossa vida.

No resumo do livro Motivação 3.0: Drive, você vai descobrir quais são os 3 grandes elementos da motivação genuína, assim como técnicas inteligentes para que possamos colocar estes princípios em movimento.

ATENÇÃO
Antes de continuar a sua leitura você pode baixar gratuitamente o meu novo livro digital As 7 Poderosas Crenças Para Viver Uma Vida Sem Limites clicando aqui.

O Que é Motivação?

Motivação vem do latim, originada no verbo “movere” que quer dizer “se movimentar”. Basicamente, a motivação é a força capaz de nos mover de um ponto para outro.

A motivação nos auxilia na busca por nossas metas e objetivos, permitindo que nós consigamos atingir tudo aquilo que buscamos na vida.

O Velho Jeito de Motivar

Durante muito tempo as pessoas foram motivadas de um jeito muito simples: através de recompensas e punições.

Daniel Pink fala sobre o exemplo clássico da cenoura e da vara, que representam os incentivos e as penalizações.

Por muito tempo as maiores empresas utilizaram este modelo para motivar seus funcionários, visando o engajamento dos trabalhadores.

Mas, para Daniel Pink, existe uma grande incongruência no que diz respeito à ciência da motivação e as práticas adotadas pelas empresas.

O autor afirma que o sistema de recompensas e punições nem sempre funciona e pode acabar fazendo muito mal para os empregados.

A Motivação Evoluiu

Pink diz que, ao longo dos anos, a motivação evoluiu muito. Além disso, durante este processo, aquilo que era usado para motivar as pessoas antigamente já não funciona de modo tão eficaz.

Pink cita 3 fases principais da motivação:

  • Motivação 1.0 – No nível mais básico a motivação surge a partir das necessidades básicas como abrigo, sede, fome e reprodução.
  • Motivação 2.0 – O segundo nível representa a adição de penalizações e incentivos para manipular a motivação das pessoas. É a abordagem da cenoura e da vara. Se você faz ou não faz isso aqui, você obtém aquilo ali.
  • Motivação 3.0 – O terceiro nível da motivação é o que tem maior poder para motivar as pessoas. Ele é baseado em 3 elementos:
  1. Autonomia: desejo humano de estar no controle da própria vida;
  2. Excelência: necessidade dos humanos de se tornarem bons em alguma coisa relevante;
  3. Propósito: o desejo de fazer o que fazemos baseados em algo muito maior do que nós mesmos.

Por tudo isso, podemos perceber que a motivação extrínseca (cenoura e vara) é muito menos eficaz que a motivação intrínseca (necessidades humanas profundas).

As pessoas são muito mais motivadas, produtivas e criativas quando são movidas por si próprias, e não por elementos externos.

O Problema da Motivação Extrínseca

Quando somos crianças a nossa motivação é, em grande parte, intrínseca. Somos muito curiosos e nos motivamos pelo desejo de experimentar o mundo.

Porém, conforme ficamos mais velhos, a sociedade nos programa para buscarmos motivações extrínsecas, e assim vamos perdendo a nossa capacidade de motivação interna.

Por isso, é muito importante estarmos atentos a este fato.

Porque quando somos movidos apenas pela motivação extrínseca, baseada em recompensas e punições, nós acabamos mudando o foco do trabalho em si para a recompensa do trabalho.

Quando nos movemos apenas por motivações extrínsecas, alguns problemas surgem:

  • Grande propensão a riscos;
  • Pouca motivação interna;
  • Comportamentos antiéticos;
  • Dificuldade para colaborar com outras pessoas.

A Motivação Extrínseca Ainda Pode Funcionar

Apesar de tudo isso, a motivação extrínseca ainda pode ser útil.

Quando falamos de atividades rotineiras, que não envolvem grande esforço criativo, recompensas extrínsecas são excelentes para elevar a produtividade das pessoas, sem gerar grandes problemas.

Para que você consiga utilizar o estilo da cenoura e da vara, é preciso comunicar para as pessoas o motivo real pelo qual uma tarefa pouco interessante deve ser feita, deixar que as pessoas realizarem a tarefa do jeito que elas querem e admitir para os envolvidos que a tarefa é repetitiva e monótona.

Por outro lado, para atividades que não são repetitivas e rotineiras, o processo pode ser mais desafiador.

Neste caso, surpresas ou recompensas que não dependam condicionalmente de que o trabalho seja realizado podem ser bastante eficazes.

Para que este tipo de recompensa funcione bem é interessante que você dê recompensas extrínsecas menos tangíveis, como feedbacks positivos e reconhecimento público.

Além disso, é necessário apresentar para a pessoa envolvida qual é a importância do processo, o grande motivo para que aquele trabalho seja realizado.

Como Desenvolver a Motivação Intrínseca?

Para desenvolver motivação interna, como você já entendeu, 3 pilares são fundamentais: autonomia, excelência e propósito.

1. Autonomia

Para que uma pessoa desenvolva autonomia, ela precisa ter controle sobre a própria atividade, ou seja, ter senso de escolha e responsabilidade plenos. Dar autonomia completa para alguém gera um nível de satisfação psicológica muito alta para quem irá realizar a tarefa.

É ideal que as pessoas tenham autonomia sobre a tarefa, o que elas fazem; o tempo, quando eles fazem; as pessoas envolvidas, com quem as pessoas fazem a atividade; e a técnica, como elas fazem a tarefa.

Em uma empresa, o ideal é que você crie uma cultura focada em resultados, de modo que as pessoas tenham grande liberdade e flexibilidade de horários para que elas possam chegar no trabalho quando quiserem.

Em uma cultura focada em resultados o que importa, justamente, são as tarefas entregues e os resultados esperados atingidos.

2. Excelência

Para que uma pessoa atinja a excelência, se tornando cada vez melhor no que faz, a tarefa precisa apresentar um alto grau de importância para ela.

Para alcançar a excelência o engajamento com a tarefa precisa ser pleno, o flow precisa existir. Por isso é preciso que a atividade apresente um equilíbrio entre dificuldade e competência, ou seja, os desafios devem surgir e se tornarem maiores à medida que a habilidade do envolvido na tarefa aumenta.

Daniel Pink afirma que existem 3 leis para a excelência:

Primeiro, a excelência é uma maneira de pensar. Precisamos entender que nossas habilidades não têm limites para a evolução, podemos evolui-las indefinidamente.

Em segundo lugar, a excelência é uma dor, isso quer dizer, ela está ligada com o trabalho duro, a dedicação, o esforço máximo e muita prática.

Terceiro, a excelência nunca é o bastante, ou seja, é impossível que ela seja alcançada, porque sempre existem jeitos para ela evoluir e se tornar uma coisa melhor.

3. Propósito

O propósito, como já foi explicado, representa o sentimento das pessoas de quererem fazer parte de alguma coisa muito maior do que elas próprias.

Daniel Pink diz que não vivemos correndo atrás da felicidade, mas sim em busca de motivos para nos sentirmos felizes.

Ele afirma que existem 3 elementos principais que compõem o propósito:

  1. Fazer algo importante;
  2. Fazer o importante bem-feito;
  3. Fazer a serviço de uma causa maior.

Para Pink, ao invés de uma empresa se focar em aumentar os seus lucros, ela deveria pensar em como ser mais focada em um propósito, o que aumenta demais a produtividade da equipe inteira.

Ele afirma que as melhores empresas se focam em lucrar para andarem mais rapidamente em direção ao propósito. É por isso que lucros e propósito não podem competir entre si.

Na realidade, a busca de lucros pela realização de um propósito é um ciclo virtuoso, que maximiza os lucros e realiza o propósito com maior grandeza.

Os lucros não devem ser rejeitados, eles são o combustível para que uma empresa seja fiel ao próprio propósito e consiga realiza-lo.

Resumo do Livro Motivação 3.0: Drive

E aí, gostou do resumo do livro Motivação 3.0: Drive?

Qual é a sua opinião sobre o livro?

Se você deseja comprar o livro, compre aqui agora.

Se quiser ler o próximo resumo, leia o resumo do livro 12 Regras Para a Vida.

P.S.: Para baixar de graça o meu livro digital, As 7 Poderosas Crenças Para Viver Uma Vida Sem Limites, clique aqui agora.

Garanta agora seu livro grátis para descobrir e copiar as 7 crenças que todas as pessoas de sucesso cultivam.

Sobre o autor

Rafael da Luz

Não existem limites, existe conhecimento. Você se torna capaz de alcançar qualquer sonho na vida quando aprende a se desenvolver como ser humano. O desenvolvimento pessoal é o caminho para que você realize tudo o que mais deseja na vida. Por isso, engrandeça.

Adicione um comentário

Compartilhar
Twittar
WhatsApp
Pocket